Facebook mostra que Entende seu Público

screenshot_127

6 razões que mostram que o Facebook e o Instagram são plataformas criativas

Quando você pensa numa campanha para o Facebook e Instagram, espera conseguir um destaque para sua marca e bons resultados para o seu negócio, certo? Mas não se esqueça: tudo começa pela criatividade. Um conteúdo criativo é o primeiro passo para fazer com que as pessoas parem de deslizar no Feed de notícias de seus celulares entre publicações de amigos, familiares e memes para prestar atenção à sua mensagem.
Para se destacar nesse mar de conteúdo, é preciso ter uma comunicação imediata e autêntica. Por isso, compilamos aqui algumas razões que mostram por que o Facebook e o Instagram são plataformas que permitem às marcas brincarem com a criatividade praticamente sem limites. De pessoas à produtos, nós reunimos um arsenal criativo que podem ajudar a captar a atenção de quem importa para você.
1) Um meio nunca esteve tão próximo do coração das pessoas e por tanto tempo
Tudo o que fazemos começa e termina com pessoas. E elas estão sempre acompanhadas de seus celulares, smartphones e tablets. Você sabia que quase metade da população mundial com acesso à Internet está conectada ao Facebook? Isso significa um total de 1,7 bilhão de pessoas — 108 milhões de brasileiros todos os meses, sendo que 99 milhões acessam o Facebook via dispositivos móveis. No Instagram, também estamos crescendo e já contamos com 500 milhões de pessoas conectadas por mês no mundo — 35 milhões de brasileiros.
Com tanta gente conectada, o Facebook e o Instagram mostram seu potencial de mídia de massa com dois diferenciais importantes: o acesso às pessoas via dispositivos móveis onde quer que elas estejam e uma capacidade de segmentação muito precisa.
A concentração de pessoas em nossas plataformas te permite criar campanhas para públicos variados num mesmo lugar. Sua marca quer falar com mulheres de 18 a 24 anos, moradoras do Piauí, interessadas em moda? Sim, é possível. E também é possível falar com um público mais geral como homens e mulheres de 18 a 60 anos que gostam de cerveja. Essa variedade permite que você crie mensagens diferentes para os públicos que sua marca quer atingir.
2) Sua marca faz parte das conversas
O Facebook e o Instagram são dois dos aplicativos favoritos das pessoas, ou seja, as acompanham em todos os momentos. O diferencial é o tom que você pode usar na sua comunicação num ambiente tão pessoal. Quanto mais você se parece com amigos de seus clientes, mais atenção você vai receber.
Por exemplo, se você tem um restaurante, em vez de criar uo tradicional conteúdo com um fundo estático e a foto de um prato, talvez seja melhor você usar a perspectiva de uma pessoa, que é mais atraente.
3) Sua história ganha poder visual

A imagem acima é uma das mais curtidas da história do Facebook. OK, você pode pensar: “É o presidente dos Estados Unidos, uma figura muito conhecida que passava por um momento histórico em sua reeleição em 2012. É claro que ele teve muitas curtidas.” Tudo isso faz sentido, mas a foto ilustra como pode ser a comunicação da sua marca.
Nem sempre uma produção carregada vai fazer sua foto se destacar. A simplicidade também funciona. A mensagem é clara: pense bem na maneira que você vai contar a sua história com uma foto. No exemplo de Obama, há apenas ele e sua mulher, transmitindo o que muita gente sentiu e apenas três palavras na legenda: “mais quatro anos”.
O Facebook encomendou uma pesquisa de neurociência para a Nielsen no Brasil no fim de 2015. O objetivo era entender como as pessoas reagiriam a anúncios estáticos que transmitiam a mesma mensagem, mas variando a quantidade de texto, imagem ou até mesmo emojis na sua composição — todos eles no Instagram.
Um dos grandes aprendizados desse estudo é que, analisando o movimento dos olhos das pessoas, não se pôde compreender um padrão de exploração do conteúdo, ou seja, uma sequência padrão de como as pessoas exploram o anúncio ou publicação. No entanto há algo em comum em todos os anúncios testados: a primeira zona a ser explorada foi consistentemente o centro da imagem. O ponto inicial de exploração de um anúncio no Instagram são as fotos ou vídeos. Por isso a importância de que a imagem de um anúncio transmita a mensagem desejada.
4) O poder do vídeo
Todos os dias são assistidos em média 100 milhões de vídeos no Facebook. Estima-se que o vídeo em celulares, smartphones e tablets responderá por 75% do tráfego móvel total até 2020. As marcas têm uma enorme oportunidade de usá-los para se conectarem com seus públicos. Embora possa parecer que investir num vídeo para dispositivos móveis seja caro, repense. Pode ser algo simples e barato.
O vídeo aumenta a visibilidade das empresas no Facebook e no Instagram e permite que as pessoas descubram conteúdo no Feed de notícias. Hoje, 20% do tempo gasto pelas pessoas em digital é para ver vídeos — quase metade das visualizações é feita em dispositivos móveis. Entre 2012 e 2015, o salto no Facebook foi de 616% e nos últimos seis meses o Instagram registrou uma alta de 150%.
Para as marcas que têm objetivo de escalar a sua campanha, investir em um vídeo em nossa plataforma pode ser um dos caminhos a seguir. Na hora de usar o formato, pense em um conteúdo relevante que transmita a mensagem da empresa logo no início.
Você pode pensar em vídeos que funcionem sem áudio. Afinal, muita gente que está no Feed de notícias prefere assistí-lo sem som, por isso também coloque legendas. O silêncio faz barulho.
Quem pôs em prática essas dicas foi a Antarctica. A marca criou uma campanha exclusiva em vídeo para o Instagram — das primeiras na plataforma no Brasil — para o lançamento do Guaraná Black, nova bebida feita com ingredientes amazônicos. o criativo contava com celebridades — como Neymar e Gabriel Medina — desafiando uns aos outros a realizarem algo inusitado: desde jantar vendado a um corte de cabelo ousado. Esse conteúdo foi desenvolvido especialmente para dispositivos móveis e, no final, conseguiu um crescimento de 33 pontos em lembrança de anúncio e 9 pontos em associação de mensagem, segundo dados do Brand Effect da Nielsen no terceiro trimestre de 2015.

5) Ferramentas e produtos que estimulam a criatividade
Boas histórias de Facebook e no Instagram são simplesmente boas histórias. Mas o surgimento de novos recursos permitem que essas grandes ideias sejam contadas de maneiras inovadoras. Por isso sempre trabalhamos para desenvolver ferramentas que permitem às marcas contar suas histórias de uma forma surpreendente.
Com o formato de Carrossel você consegue mostrar uma série de ofertas da sua loja, as características do seu carro e também uma pequena história da sua marca dividida nos cinco cards disponíveis.
Para quem quer algo com mais movimento, é possível usar o Slideshow. Esse formato de anúncio é similar a uma apresentação em Power Point. Ele possibilita dar movimento as imagens estáticas. As marcas que optam por anunciar assim podem escolher de cinco a sete fotos e o tempo em que cada uma será exibida na divulgação.
A marca brasileira de cosméticos quem disse, berenice?, do Grupo Boticário, foi a primeira a fazer uma campanha com esse formato. A marca criou um tutorial para ensinar como usar seu produtos.
Já o Gif permite aos anunciantes abusar de uma linguagem própria do online para impactar o público. Outro aspecto que reforça o uso da imagem gráfica é ter uma boa performance de carregamento nos dispositivos móveis com baixa conexão móvel.
6) Experiências imersivas exclusivas
Na tela dos dispositivos móveis, as pessoas podem “mergulhar” em um anúncio no Feed de notícia. O Canvas é uma experiência imersiva e em tela cheia no Facebook. O formato de anúncio que permite as marcas a explorarem um conteúdo multimídia na plataforma. Com ele, vocês podem ter vídeo, texto, foto, carrossel. A forma mais completa de impactar o público-alvo. A Amstel, marca de cerveja da Heineken, estreou no mercado brasileiro no verão de 2015 com uma campanha exclusiva no Facebook e no Instagram. O Canvas foi seu grande diferencial criativo.
Há também a possibilidade de fazer videos e fotos 360º, que te dão uma visão panorâmica totalmente imersiva, além de trazer uma aproximação da realidade virtual. Apostar nesse formato possibilita uma mudança na experiência de como o público se relaciona com sua marca. A marca de óculos Oakley criou um vídeo a partir da perspectiva do skatista brasileiro Bob Burnquist, que pedalava nos sinuosos trechos de uma trilha de competição.
A sensação é de estar realmente imerso na aventura.
Você provavelmente se lembra da americana Candance Payne que virou sensação quando transmitiu ao vivo pelo Live o momento em que experimentou sua máscara do Chewbacca. Até agora seu Live é o mais visto de todos, com mais de 50 milhões de visualizações e 1,4 milhões de compartilhamentos. A inovação do Live começa pelo seu próprio formato. Aqui, não é necessário que tudo seja uma produção hollywoodiana, afinal é ao vivo. Você pode transmitir a seus clientes o lançamento de um produto, mostrar os bastidores de uma campanha e assim aproximar sua marca de seus clientes.